Tempo-tesouro


"Amo refletir sobre ele
E me aventurar a descrevê-lo.
Ele que trás e leva as estações,
As emoções, as pessoas,
Os dias, as noites,
As horas.

Ele que passa por nós como o vento,
Que trás e leva as folhas caídas
A vagar pelas calçadas,
Unindo-as num movimento circular
Em meio à ventania empoeirada.

Ele chega com o vento,
Bagunça e se vai,
E mesmo assim persiste
Na lembrança deixada em si,
De que enquanto formava-se no ar
O pequenino tufão,
Por entre a poeira e as folhas
Podia-se ver o brilho suave do sol,
Esse refletia de traz de uma árvore,
Que tinha suas folhas arrancadas
Pela intensidade do vendaval,
Que se despedia
À medida que enfraquecia.

O tempo vai e permanece.
O vento parte e retorna com a brisa.
Não se enterra o vento.
Mesmo os tesouros mais ocultos sob a terra
Resistem ao tempo.
O tempo resiste ao seu próprio vento."