Estação Especial


“Apoderou-se dos meus pensamentos
Mesmo que lá fora haja inverno
Aqui dentro só há única estação
Eis que é chegado o Outono...

Temporada de sopro
Vento forte, denso
Sem direção
Louco...

Ao mesmo tempo
Traz a brisa leve, terna
Norteada
Esplendorosa...

Conduzida por anos
Que deixaram saudades
Mesmo sem haver, se quer,
Dias...

Sopro que me leva
A voar
Tenho o céu
Em meus pensamentos...


Outono estranho
Singular, enigmático
Misterioso e encantador
Agitado e sereno
Devaneio
e sólido  
Sem explicação...

Posso ouvir a música soar
Sinto a atmosfera
A tocar o rosto
Secar os lábios
Intenso Outono...

Estação Especial
Peculiar, distinta
Estará sempre preservada
Na reminiscência do Outono.”